Gente que se interessa

domingo, 18 de dezembro de 2011

As antífonas do Ó




Do dia 17 ao dia 23 de Dezembro na oração da Igreja rezamos ou cantamos umas pequeninas frases a que se dá o nome de antífonas. São especiais. Porque são curtas e densas, cheias de beleza e de simbolismo. Chamam-se Antífonas do Ó porque se iniciam todas com este vocativo.
São orações já muito antigas, rezadas há mais de doze séculos na Igreja. No seu conjunto são um resumo da fé em Cristo Jesus cujo santo nascimento nos preparamos para celebrar. Estas preces da Igreja dirigidas a Cristo expressam o nosso desejo de salvação, nosso e de toda a humanidade.
Nelas a Igreja proclama admiravelmente a sua admiração perante o mistério de Deus Incarnado. Iniciadas pela interjeição «Ó» expressamos com toda a força as nossas ânsias de salvação e ao mesmo tempo lançamo-nos para dentro do mistério que nos envolve e nos ajuda a suplicar «Vem e não tardes mais»!
Estas súplicas a Cristo preparam-nos para viver com fervor o Natal. São súplicas ardentes de quem não pode esperar mais. Assim, em cada dia rezamos uma nova súplica pela qual reverenciamos o Senhor com um título messiânico retirado do Antigo Testamento, porque é convicção da nossa fé que em nossos dias esse título se realizará em plenitude.
Como surgiram pela primeira vez em língua latina, as iniciais das primeiras palavras (Sapientia, Adonai, Radiz Iesse, Clavis, Oriens, Rex gentium, Emmanuel) lidas ao contrário, dão origem ao acróstico «ero cras», que significa «serei amanhã, estarei, virei amanhã», jogo de palavras que a Idade Média tanto apreciava e que alguém não tardou a interpretar como uma misteriosa resposta do Messias, assegurando-nos a sua vinda.
Rezemo-las dia a dia calmamente e nela contemplemos o doce mistério anunciado e tão desejado:

DIA 17 DE DEZEMBRO
Ó Sabedoria que saístes da boca do Altíssimo,
e atingis os confins de todo o universo e com força e suavidade
governais o mundo inteiro!
Oh! Vinde ensinar-nos o caminho da prudência!

DAI 18 DE DEZEMBRO
Ó Adonai, guia da casa de Israel, que aparecestes a Moisés na sarça ardente e lhe destes a vossa lei sobre o Sinai:
Vinde salvar-nos com o braço poderoso!

DIA 19 DE DEZEMBRO
Ó Raiz de Jessé, ó estandarte, levantado em sinal para as nações!
Ante vós se calarão os reis da terra,
e as nações implorarão misericórdia:

DIA 20 DE DEZEMBRO
Ó Chave de David:
Ceptro da casa de Israel, que abris e ninguém fecha,
que fechais e ninguém abre:
Vinde logo e libertai o homem prisioneiro,
que nas trevas e na sombra da morte, está sentado.

DIA 21 DE DEZEMBRO
Ó Sol nascente, justiceiro, resplendor da luz eterna:
na sombra do pecado e da morte,
estão sentados!

DIA 22 DE DEZEMBRO
Ó Rei das nações, Desejado dos povos;
Ó Pedra angular, que os opostos unis:
Oh! Vinde e salvai este homem tão frágil,
que um dia criastes do barro da terra.

DIA 23 DE DEZEMBRO
Ó Emanuel: Deus-connosco, nosso Rei Legislador,
Esperança das nações e dos povos Salvador:
Vinde enfim para salvar-nos,
ó Senhor e nosso Deus!

(Chama do Carmo I NS 128 I Dezembro 18 2011)

Nota: Nossa Senhora do Ó é Nossa Senhora grávida. Tem este título precisamente por causa das antífonas, que começam todas por ó e destinam-se a esperar o Senhor, o Qual Maria carrega no Seu ventre.


Nossa Senhora do Ó é uma devoção mariana surgida em Toledo, na Espanha, remontando à época do X Concílio, presidido pelo arcebispo Santo Eugénio, quando se estipulou que a festa da Anunciação fosse transferida para o dia 18 de Dezembro. Sucedido no cargo por seu sobrinho, Santo Ildefonso, este determinou, por sua vez, que essa festa se celebrasse no mesmo dia, mas com o título deExpectação do Parto da Beatíssima Virgem Maria. Pelo facto de, nas vésperas, se proferirem as antífonas maiores, iniciadas pela exclamação “Oh!”, o povo teria passado a denominar essa solenidade como Nossa Senhora do Ó. (in: SILVA, Pe. Martinho da. Flores de Maria) 
pt.wikipedia.org

1 comentário:

teresa disse...

olá amiga FELIPA ,, passo para lhe desejar um santo e feliz NATAL , na companhia daqueles que mais ama ..

beijinho ..